continua após a publicidade

Os contratos futuros do minério de ferro sofreram oscilações nesta sexta-feira e caminhavam para a segunda queda semanal consecutiva, devido a crescentes preocupações sobre a demanda de aço na China, o maior produtor mundial do ingrediente siderúrgico. O plano da China de limitar a produção das siderúrgicas domésticas aos níveis de 2022 aumentou essas preocupações, reduzindo ainda mais os preços já pressionados pela fraca demanda doméstica de aço durante o pico da temporada de construção do país e uma perspectiva econômica global moderada.

De acordo com a Bloomberg, o plano para limitar a produção de aço da China em 2023 deve ser divulgado até o final deste mês, o que agravou ainda mais a queda nos preços do minério de ferro. O minério de ferro mais negociado para setembro na Dalian Commodity Exchange da China encerrou as negociações diurnas com queda de 0,8%, a 768,50 iuanes (112,30 dólares) a tonelada, e estava a caminho de um recuo semanal de quase 3%. Na Bolsa de Cingapura, a referência de minério de maio caiu 0,4%, para 115,90 dólares a tonelada. No acumulado da semana até agora, a queda é de mais de 1%.

Os estrategistas de commodities da ANZ afirmaram que “o minério de ferro ampliou suas perdas enquanto a China planeja limitar a produção de aço para 2023. Isso é uma resposta à recuperação mais lenta da demanda e à redução das emissões”. A demanda morna pelo aço foi um fator importante para a queda dos preços, mas, apesar disso, a taxa de utilização da capacidade dos altos-fornos operados por 247 siderúrgicas chinesas sob pesquisa semanal da Mysteel atingiu uma máxima de 22 meses de 91,8% esta semana, de acordo com a consultoria e provedora de dados.

Além das preocupações com a demanda, a oferta também afetou os preços do minério de ferro. Uma tempestade de categoria 5 atingiu a costa noroeste da Austrália, mas poupou regiões populosas, incluindo o maior centro de exportação de minério de ferro do mundo em Port Hedland. No entanto, isso pode ter um impacto negativo nos preços no futuro, uma vez que a Austrália é um grande fornecedor de minério de ferro para a China.

Em resumo, as preocupações com a demanda de aço na China estão afetando os preços dos contratos futuros de minério de ferro, que caminham para a segunda queda semanal consecutiva. O plano da China de limitar a produção de aço em 2023 pode agravar ainda mais a queda nos preços, juntamente com a fraca demanda doméstica de aço e a perspectiva econômica global moderada.

continua após a publicidade