continua após a publicidade

A Floresta Amazônica tem um significado maior do que representar 7% de toda a superfície do planeta e ter 10% de toda a biodiversidade do mundo. É também responsável diretamente por ajudar a controlar a quantidade de chuvas que atingem nosso país e mesmo os nossos vizinhos. Um estudo feito pelo Instituto de Física da Universidade de São Paulo (USP) aponta que 25% das chuvas nas regiões Sul e Sudeste vêm da região amazônica. E como usar mais esta riqueza em benefício próprio? O Projeto Chuvas da Amazônia, da Plataforma Conexões Sustentáveis, promoveu, durante um ano, técnicas alternativas de acesso à água potável.

Mesmo rodeadas por água, muitas comunidades ribeirinhas não possuem água potável para consumo. O objetivo do projeto foi ensinar técnicas alternativas para acesso à água potável nas comunidades ribeirinhas, gerando assim uma melhor qualidade de vida com a diminuição a longo prazo de doenças relacionadas à falta de saneamento básico adequado. Ele foi dividido em quatro etapas: diagnóstico socioambiental das comunidades; análise laboratorial da água utilizada; capacitações de educação ambiental e de técnicas alternativas de acesso à água potável; e implantação de estruturas fixas de captação de água da chuva. O projeto teve início em outubro de 2022 e finalizou as atividades em setembro deste ano.

Quatro comunidades foram beneficiadas: Uricuriteua e Anauerá, na Ilha Trambioca, São João e São Pedro, na Ilha das Onças. Com as instalações comunitárias, 43 famílias se beneficiaram da iniciativa, com 165 pessoas atendidas com quatro estruturas de captação de água da chuva. Para Helenita Anjos, agente de saúde, o projeto veio para ajudar na promoção da saúde da comunidade. “Estamos aprendendo a filtrar e limpar a água da chuva, diminuindo doenças e adquirindo conhecimento sobre como melhorar a qualidade da nossa água”, afirma.

“Além das estruturas de captação, ofertamos diversas outras atividades de educação ambiental para crianças e adultos, como oficinas técnicas sobre construção de filtros e utilização de hipoclorito de sódio. Fizemos um diagnóstico socioambiental com as famílias que resultou na confecção de uma cartilha. Almejamos mais parcerias para a continuação do projeto, pois o retorno das comunidades foi muito positivo”, conta Thuany Batista, coordenadora do Projeto Chuvas da Amazônia.

Uma das ações do projeto foi o lançamento da cartilha “Olha a chuva!” que traz, de forma didática e simples, práticas sustentáveis e de reuso da água da chuva. “Esta cartilha foi feita para as comunidades. Procuramos reunir nela algumas informações sobre a importância do saneamento básico e acesso à água potável, além de formas sustentáveis e simples para implantar em casa e saber utilizar a água da chuva”, conta Thuany.

Sobre a Plataforma Conexões Sustentáveis

A Plataforma Conexões Sustentáveis é uma realização do Fundo de Sustentabilidade Hydro em parceria com a Plataforma Parceiros pela Amazônia (PPA), a Agência dos Estados Unidos para o Desenvolvimento Internacional (USAID) e Aliança Bioversity & CIAT, com execução da Iniciativa Barcarena Sustentável (IBS). Hydro e Albras são as mantenedoras do Fundo de Sustentabilidade Hydro. Em 2022, a Plataforma Conexões Sustentáveis lançou 15 novos projetos. Os projetos foram iniciados entre outubro e dezembro de 2022 e estão em desenvolvimento. Em 2023 uma nova chamada foi realizada, com sete projetos selecionados. O investimento nesta nova chamada será em torno de 600 mil reais.

continua após a publicidade