Apresentação da pesquisa na íntegra foi realizada na Fundação Dom Cabral
Apresentação da pesquisa na íntegra foi realizada na Fundação Dom Cabral

O Agro está entre os setores mais admirados (68%) entre os entrevistados brasileiros, é o que mostra a pesquisa inédita intitulada “Percepções Sobre o Agro. O Que Pensa O Brasileiro”, idealizada pelo Movimento Todos a Uma Só Voz. A maior perda na comparação é para o setor de Saúde. O resultado é parte do levantamento, que foi divulgado na íntegra na manhã de hoje, 28 de setembro, durante apresentação dos resultados na Fundação Dom Cabral (FDC).

A pesquisa mostra ainda que 43% dos entrevistados possui grande envolvimento com o Agro, sendo o setor considerado como muito importante para o dia a dia desse perfil – que tem uma proximidade com o setor por ter familiar trabalhando no Agro ou já ter atuado. 24% possui médio conhecimento e médio envolvimento com o Agro e 33% representa o perfil mais distante do Agronegócio. Esse distanciamento se dá pelo baixo envolvimento e conhecimento do Agro.

Ainda sobre algumas percepções, a imagem dos brasileiros mais associada ao Agro é Alimento (78%). No total da amostra, com 4.215 entrevistas, a maioria (65%) declarou ter uma atitude positiva em relação ao Agro. Quem já trabalhou ou tem parentes que trabalham no Agronegócio tendem a avaliar o setor de maneira mais positiva: 84% e 80%, respectivamente.

Pontos de Atenção

O grupo distante ou desfavorável ao setor representa uma parcela significativa da população (33%). Este grupo é composto por 51% de respondentes na faixa de 15 a 29 anos: um público mais jovem e que é o consumidor do futuro. De uma maneira geral, a faixa etária de 30 a 59 anos tendeu a ser mais crítica que o total da amostra em aspectos ambientais. Para 38% das pessoas nesta faixa etária, o Agro é um dos principais responsáveis pelos impactos ambientais do País, o dobro do total da amostra (19%).

E, ainda nesta faixa etária, para 31%, o Agro faz uma má utilização dos recursos hídricos, quase o triplo do total da amostra (11%). “Este momento é uma janela de oportunidades para o Agro se comunicar. As empresas e associações do Agronegócio precisam contar mais suas histórias de sucesso”, avalia o Coordenador Geral da Pesquisa, Paulo Rovai.

Para admirar é preciso conhecer

Rovai explica que a pesquisa é um raio-x abrangente para entender, de forma realista e embasada por uma metodologia robusta, o que os brasileiros pensam sobre o Agronegócio.

Ainda de acordo com ele, o levantamento faz parte do projeto de construção da marca “Agro Brasil” que pretende estimular a empatia dos brasileiros pelo Agro para ajudar a fortalecer o setor e gerar novas oportunidades.

Rovai aponta que, atualmente, não há dados públicos sobre a percepção dos brasileiros sobre o setor, já que só existem pesquisas privadas sobre o tema, de acesso limitado aos contratantes e não abertas ao mercado. A íntegra da pesquisa pode ser consultada no site do Movimento Todos a Uma Só Voz: www.todosaumasovoz.com.br

Amostra nacional

As perguntas da pesquisa foram aplicadas em uma amostra nacional, com 4.215 entrevistas, para representar os principais estratos e perfis da sociedade brasileira, e realizada pela Brazil Panels – considerado o maior painel digital do País, com mais de 2 milhões de pessoas cadastradas e ativas.

Essa amostra seguiu as cotas do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) para gênero, idade, classe social (por faixa de renda familiar) e regiões geográficas.

No total, a pesquisa contemplou entrevista com mulheres (52%) e homens (48%) com pessoas entre 15 a 29 anos (30%); 30 a 59 anos (52%) e mais de 60 anos (18%), divididas nas classes A (1%), B (11%), C (39%) e D/E (49%) nas Sudeste (42%), Nordeste (26%), Sul (14%), Norte (9%) e Centro-Oeste (9%).

A pesquisa foi possível graças a um grupo de trabalho, composto por mentores e condutores: Ana Luisa Almeida, Presidente da ALL+ Consultoria em Excelência Corporativa, PhD em Reputação e Professora da FDC; Ana Vaz, Embaixadora do Capitalismo Consciente; Áurea Puga, PhD, Professora da FDC; Claudia Leite, Sócia-diretora da Hilo; Claudio Vasques, Diretor da Brazil Panels; Eduardo Eugênio Spers, Professor Titular USP/Esalq; Isabel Araujo, Coordenadora do Movimento Todos A Uma Só Voz; Luciana Florêncio, PhD em Economia de Empresas, Professora de Pós Graduação da ESPM; Mariele Previdi, Diretora da Attuale Comunicação; Patricia Fett, Diretora da Quallisense Pesquisa de Mercado; Paulo Rovai, Diretor da Paulo Rovai Marketing e Negócios e Professor da ESPM; Pedro Scrivano, Consultor de Marketing, Métodos Quantitativos e Estatísticos; Ricardo Nicodemos, Diretor da RV Mondel, presidente da ABMRA – Associação Brasileira de Marketing Rural e Agro, e idealizador do Movimento Todos A Uma Só Voz.

Fonte: Todos a Uma Só Voz