Copa do Mundo: O que explica os protestos dos jogadores e a posição da FIFA?

A FIFA é a grande responsável pela organização do maior torneio de futebol que conhecemos no planeta terra, estamos falando justamente sobre a Copa do Mundo, que chega em sua 22ª edição este ano no Catar. 

O país em questão se encontra nos Emirados Árabes e recebe as 32 seleções ao redor do mundo, que disputam em campo pela tão sonhada e almejada taça de ouro que traz ao país o título de campeão de futebol do mundo. 

O Brasil se consagra como o país com o maior número de títulos até hoje, já são 5 taças de copas do mundo e que os torcedores não veem a hora que se tornem 6, afinal de contas, todos desejam a vitória de seu país, não é mesmo? 

Não é novidade para ninguém que a copa se tornou um evento único em todo o mundo, pois é o momento em que as famílias e os amigos deixam suas diferenças de lado e torcem com um só objetivo e pelo mesmo time. 

É durante a copa que muitas pessoas se inspiram na rotina dos jogadores e buscam cuidar mais de sua saúde, buscando por um aparelho de musculação para pernas e glúteos de qualidade que lhes permita treinar dentro de casa. 

Entretanto, como nem tudo são flores, essa copa está sendo marcada não só pela luta dos países pela taça, mas também por um cenário atípico dentro de campo e que se torna um reflexo da cultura e dos costumes do país que sedia essa edição do torneio. 

Em alguns jogos, o mundo foi surpreendido por casos que foram interpretados como protestos por parte de alguns torcedores e por parte dos próprios jogadores, e que fizeram diversas pessoas ao redor do mundo se perguntarem sobre o que estava acontecendo. 

Pensando nisso, hoje iremos explicar um pouco mais sobre os casos de protestos que deram o que falar nos últimos dias, os motivos pelos quais eles aconteceram e como a FIFA se posicionou em relação a eles. 

Entenda o cenário no qual acontece a Copa do Mundo 2022 

Antes de qualquer coisa, é importante que entendamos sobre o cenário da atual edição da Copa, que acontece no Catar e que conta com uma empresa de alimentação coletiva e hotéis confortáveis para receber os milhares de jogadores de todo o mundo. 

Como mencionamos anteriormente, o Catar é um país que se encontra nos Emirados Árabes e possui uma cultura e costumes bem diferentes dos brasileiros, por exemplo, com atitudes que são facilmente assimiladas a problemas como: 

  • Intolerância religiosa;
  • Machismo;
  • Misoginia;
  • Homofobia;
  • Transfobia;
  • Entre outros. 

É válido frisar que nosso objetivo não é julgar a religião ou os hábitos de ninguém, entendemos que cada povo possui a sua cultura e todas elas devem ser respeitadas, sejam as do Catar, do Brasil ou de qualquer outra nação. 

Entretanto, ao ser sede do maior torneio de futebol do mundo e receber diferentes pessoas que vêm de países liberais, é normal que muitos se sentem chocados ao presenciarem determinados tipos de atitudes no país em questão. 

Claro que o país recebe os jogadores da melhor forma possível e está à disposição para ajudar com profissionais que entreguem um prontuário médico eletrônico, se preciso, e diversas outras pessoas que possam ajudar no que for preciso. 

Mas como bem mencionamos anteriormente, certas atitudes acabam gerando um choque nos visitantes, como o caso das mulheres no país, que só podem andar mostrando os olhos, todo o restante do corpo é coberto por um manto preto. 

Sem contar que no Catar, é normal que um homem tenha mais de uma família e que os homens casem com meninas mais novas, até mesmo menores de idade, o que no Brasil, por exemplo, é algo muito difícil de acontecer por lei ou obrigatoriedade. 

Com tudo isso, conseguimos entender que o país possui diversos costumes bem diferentes do Brasil, por exemplo, e algumas regras que acabaram fazendo com que torcedores e jogadores se posicionassem em relação a isso. 

Confira os dois casos de protestos durante a Copa do Mundo 

Assim como é possível entender mais sobre os tributos de uma empresa a partir de exemplos de casos dados através de uma boa consultoria fiscal e tributária, nada melhor do que exemplos para que você entenda mais sobre esse assunto. 

Como mencionamos no início do texto, houveram alguns casos que foram interpretados como protestos por parte das autoridades do Catar e que foram realizadas tanto por torcedores quanto por jogadores da seleção.

Em meio a tantas notícias e informações que correm em uma velocidade surpreendente através das redes sociais nos últimos dias, selecionamos dois dos principais e mais famosos casos que foram tidos como protesto durante essa edição da copa. Confira: 

Seleção da Alemanha tampa a boca em foto 

O primeiro deles foi a histórica foto tirada pelo time da seleção da Alemanha, onde todos se posicionaram no campo e posaram para a foto como se fosse uma equipe de futebol normal, entretanto, todos usaram uma das mãos para tapar a própria bica. 

Assim como as marcas contam com uma boa empresa de auditoria financeira para avaliar a situação financeira de seu negócio, os diretores da FIFA foram em busca do que originou tal ação e o resultado foi surpreendente. 

Tudo isso aconteceu devido à proibição do uso da braçadeira de capitão da campanha “One Love”, uma campanha de apoio à comunidade LGBTQIA+, durante os jogos da Copa, isso porque, no Catar, o homossexualismo ainda é tido como um crime. 

Devido a tal ação, os jogadores da seleção tiraram a foto com a mão na boca, representando a censura de tal ato e ao mesmo tempo a resistência em busca da igualdade e da liberdade de amar, seja quem for. 

Torcedor invade o campo com bandeira 

O segundo caso que repercutiu em todo o mundo foi o ato de invasão ao campo por parte de um torcedor logo após o jogo entre Portugal e Uruguai no último dia 28, com uma camisa de super herói e uma bandeira de apoio a comunidade LGBTQIA+, ele fez história. 

Tal como conseguimos uma agenda personalizada empresa para ser usada no novo ano que está por vir, o homem personalizou sua camisa com uma frase em que pedia respeito pelas mulheres iranianas e correu pelo campo com a bandeira em mãos. 

Felizmente, o homem não apresentou nenhuma resistência para sair do estádio e os guardas conseguiram tirar ele do espaço pacificamente, mas os pequenos segundos que gastou correndo pelo campo marcaram essa edição da copa. 

A ação do homem fala por si só, sua camisa pede igualdade pelas mulheres e sua bandeira reitera a ideia propagada pela seleção alemã, o amor pode e deve ser vivido e sentido por todos, seja quem for a pessoa que amemos. 

Esses foram os principais casos tidos como protestos durante a Copa do Mundo 2022 e que marcaram essa edição e que, com certeza, ficarão na história do futebol para que as próximas gerações também vejam o que aconteceu. 

Conheça a história da FIFA e sua posição neste contexto 

Para finalizar, não poderíamos deixar de falar sobre a FIFA, uma importante protagonista deste cenário, que assim como uma bandeirola de sinalização, serve para guiar todas as regras e cuidar dos casos que acontecem durante a Copa do Mundo. 

Caso você não saiba, a FIFA, Fédération Internationale de Football Association (Federação Internacional de Futebol), é um grupo de milhares de associados que patrocinam eventos voltados exclusivamente para o futebol. 

A FIFA é a instituição que criou a Copa do Mundo e diversos outros torneios de futebol importantes em todo o mundo, fundada em 1904 na França, é ela quem dita as regras do futebol e está sempre de olho em tudo o que acontece neste universo. 

Tal instituição é extremamente importante para que consiga defender o futebol limpo e organizado, como deve ser, e garantir que o melhor vença e que todos os torneios aconteçam da forma mais harmoniosa possível. 

Durante os casos que foram tidos como protestos durante essa edição da copa, a FIFA não se calou e esteve ao lado dos jogadores e torcedores, assim como o mercado fica ao lado do cliente quando entrega um display promocional que era de seu desejo. 

Após o protesto da seleção alemã, por exemplo, a FIFA conseguiu liberar o uso da bandeira de apoio ao grupo LGBTQIA+ nos estádios e permitiu que todos os visitantes que tinham sua opção sexual definida pudessem se expressar sem medo. 

Trata-se de uma instituição que está se abrindo para o novo e provando que o esporte e, em especial, o futebol, já não se trata de apenas um jogo, mas um espaço onde todos podem ser o que são sem medo ou vergonha. 

Considerações finais 

Dessa forma, podemos ver que a Copa do Mundo 2022 ainda nem acabou, mas com certeza já está na história como uma das edições que mais marcaram o mundo e gerou grandes reflexões, sensíveis e necessárias. 

Esse texto foi originalmente desenvolvido pela equipe do blog Guia de Investimento, onde você pode encontrar centenas de conteúdos informativos sobre diversos segmentos.