mindful eating
Crédito: iStock

A correria do dia a dia transformou profundamente um aspecto vital de nossas vidas: a alimentação. Com as demandas do cotidiano, há uma preferência cada vez maior por refeições rápidas e normalmente realizadas com pressa, sem a atenção necessária para se desfrutar dos prazeres que resultam do ato de comer. 

Indo contra a tendência de uma alimentação acelerada e descuidada, o mindful eating permite uma melhora na relação entre o corpo e a comida, propondo uma prática alimentar mais consciente e atenta. 

O que é o mindful eating?

Com o significado de “comer consciente”, o mindful eating é derivado do “mindfulness”, uma prática de origem budista que ajuda a focar no presente, sem qualquer tipo de julgamento. O mindful eating é, portanto, a aplicação desse princípio ao ato de comer, que deve ser realizado com atenção plena e consciência do momento presente.

O mindful eating envolve todo o processo de alimentação: desde a escolha e o preparo dos alimentos ao momento de colocá-los no prato e finalmente se deliciar da refeição pronta. É vivenciar a ocasião da alimentação, prestando atenção nos pensamentos, sentimentos e sensações que surgem durante a experiência de comer. 

Benefícios do mindful eating

O mindful eating proporciona uma reconexão do corpo com a mente no ato de comer, promovendo uma maior consciência das emoções e dos sinais envolvidos no processo de alimentação, como a fome e a saciedade. Uma pessoa que come de forma consciente passa a compreender e identificar melhor as ocasiões em que necessita se alimentar e a quantidade de comida necessária para ficar saciada, mudando os padrões de seu comportamento alimentar. 

Essa prática proporciona, então, uma relação mais saudável com a comida, pois estimula o autocuidado e a atenção ao próprio bem-estar, a partir do reconhecimento de que não existe maneira “errada” de comer e que a experiência de se alimentar é única e particular.

O mindful eating também traz grandes benefícios para a saúde. A estratégia contribui para uma redução dos níveis de estresse e ansiedade, ajudando, inclusive, no tratamento da compulsão alimentar e no controle das situações do “comer emocional”. Além disso, as mudanças no comportamento alimentar podem ajudar na melhora de parâmetros clínicos, como pressão alta e glicemia, e contribuir para a perda de peso. 

A importância e os benefícios do mindful eating têm sido amplamente reconhecidos por nutricionistas, chefs de cozinha e outros especialistas em alimentação, além de estar sendo incorporada à formação de futuros profissionais da área. Por exemplo, em uma faculdade de gastronomia, os estudos sobre práticas alimentares, destacando o comer consciente, ocupam parte importante da grade curricular dos futuros chefs.

O mindful eating, na prática

O mindful eating não é uma prática difícil, mas é fundamental que haja um esforço diário para que ela obtenha os melhores resultados possíveis.

Para aplicar no dia a dia, é preciso reservar um tempo específico para a refeição, em um ambiente tranquilo, sem nenhuma distração, isto é, longe de televisões, celulares e outros aparelhos eletrônicos. Além disso, é muito importante sentar-se à mesa para comer.

É fundamental comer devagar e mastigar bem, saboreando os alimentos. Atentar-se aos cinco sentidos e como eles são acionados durante a alimentação também é essencial: sentir a textura e o cheiro, observar a cor e a aparência dos alimentos e prestar atenção ao som da mastigação. Pausas durante a refeição também são bem-vindas, pois elas ajudam na percepção dos sinais de fome ou saciedade. 

A comida é parte vital de nossas vidas, por isso é importante estabelecer um bom relacionamento com a nossa alimentação. Ao comer de maneira mais consciente, é possível construir uma relação cada vez mais prazerosa e proveitosa com os alimentos.