As vacinas são um dos recursos mais eficazes para prevenir a doença, garantindo a saúde e o bem-estar de toda a população. 

Elas são fundamentais para o fortalecimento imunológico, ajudando-o a combater os mais diversos vírus e bactérias. 

No entanto, também há alguns mitos sobre as vacinas, que podem levar as pessoas a não se vacinarem ou a tomar medidas equivocadas prejudiciais à saúde.

Neste artigo, revisaremos 4 grandes mitos e verdades sobre vacinas, para que você possa melhor compreendê-las e garantir a sua saúde e de sua família. 

Vamos começar!

Vacinas e suas aplicações pelos brasileiros

A vacinação é uma das principais formas de prevenir doenças infecciosas graves e tem sido usada com êxito há muitos anos no Brasil. 

Uma vez que as vacinas são seguras, eficazes e em grande parte gratuitas, elas são amplamente utilizadas para prevenir doenças infecciosas graves e complicações desnecessárias.

As vacinas disponíveis hoje no Brasil são os tipos mais recentes de vacinação e incluem vacinas acelulares, conjugadas, recombinantes sintéticas e polissacarídicas. 

Estas oferecem proteção contra uma grande variedade de doenças infecciosas graves como tétano, difteria, poliomielite, sarampo, caxumba e rubéola.

O Programa Nacional de Imunização (PNI) tem como objetivo aumentar significativamente os níveis de cobertura vacinal no Brasil. 

O programa oferece vacinas gratuitas para crianças e adolescentes contra as doenças infecciosas graves anteriormente mencionadas. 

Está disponível em todos os estados brasileiros, sendo administrado localmente pelos Departamentos de Saúde Estaduais.

O PNI também incentiva a vacinação de adolescentes e adultos contra doenças infecciosas, como o sarampo, caxumba, rubéola e gripe. 

Alguns estados brasileiros também têm programas de vacinação para adultos que oferecem vacinas gratuitas contra a varicela, o HPV e a febre amarela.

A vacinação continua sendo o melhor método de prevenir doenças infecciosas graves no Brasil. 

Por isso, a Organização Mundial da Saúde (OMS) recomenda que todas as pessoas sejam vacinadas de acordo com sua idade e estado de saúde. 

É importante manter os registros de vacinação atualizados e em dia para assegurar que todos estejam protegidos contra doenças infecciosas.

4 mitos e verdades sobre vacinas

Visando esclarecer diversas dúvidas acerca das vacinas, vamos agora discutir 4 grandes mitos e verdades sobre elas.

#1 Vacina tríplice viral causa autismo

MITO. 

Inúmeros estudos já foram realizados para avaliar se a vacina tríplice viral (contra sarampo, caxumba e rubéola) está associada com o desenvolvimento do autismo. 

A conclusão dos estudos é que nenhuma ligação foi encontrada entre as duas e, portanto, esta teoria não foi comprovada.

Esta falsa informação foi desmentida pelo próprio autor de um estudo publicado na revista científica The Lancet em 1998.

No qual ele afirmava que a vacina causa autismo, porém em seu estudo haviam inúmeros erros, que foram evidenciados em 2004.

#2 Crianças só podem tomar uma vacina por vez

MITO. 

As crianças também podem e devem receber mais de uma vacina por vez, isso ajuda a reduzir o desconforto das crianças, bem como o número de visitas ao médico.

É importante que os pais consultem o pediatra antes da aplicação da vacina para crianças.

Isso para garantir que todas as doses sejam administradas com segurança e no tempo certo. 

Assim, é possível obter a melhor proteção contra doenças infecciosas sem correr riscos desnecessários.

#3 Vacinas causam efeitos colaterais

VERDADE. 

Embora sejam bastante seguras, todas as vacinas podem causar alguns efeitos colaterais leves, como dormência no local da injeção, febre baixa, enjoo ou dor de cabeça. 

Esses efeitos, em geral, são passageiros e desaparecem em algumas horas. 

Algumas vacinas para idosos também podem causar efeitos colaterais. 

Assim, é válido acompanhar essa faixa etária ao longo do dia, para garantir o bem-estar. 

No entanto, é importante lembrar que as vacinas não causam a doença que elas protegem.

#4 Algumas vacinas precisam de reforço

VERDADE. 

Algumas vacinas, como a vacina contra o tétano e a febre amarela, precisam ser reforçadas periodicamente.

Para garantir que as pessoas continuem protegidas contra essas doenças infecciosas.

É importante que todos sigam o esquema de vacinação recomendado pelo médico para obter a melhor proteção possível contra doenças graves. 

É também necessário manter os registros de vacinas em dia para garantir que os reforços sejam administrados no tempo certo.

O que achou deste conteúdo? Já colocou o seu esquema vacinal em dia? 

Compartilhe essas informações com outras pessoas para ajudar a diminuir o número de infecções. 

Assim, todos podem se beneficiar da vacinação e manter-se saudáveis.

Aproveite e veja também: No Dia Nacional da Imunização, Sanofi Pasteur lembra a importância das vacinas na prevenção de doenças.