multas ambientais

As multas ambientais são consequências da falta de consciência e consideração de empresas para com o meio ambiente. Cuidar dele é obrigação de todos, mas as organizações têm uma responsabilidade ainda maior em relação a isso.

Isso não descarta o fato de que os indivíduos precisam fazer seu papel para proteger o ecossistema, mas no que tange às corporações, inegavelmente, elas usam mais recursos naturais e poluem mais também.

Por causa dessa realidade, várias leis e normas foram criadas para proteger o ecossistema, e quando não são respeitadas, as empresas estão sujeitas a sofrer com sanções e punições.

No entanto, além de se manter sempre dentro daquilo que é imposto pelos governos, as companhias que procuram respeitar e proteger o meio ambiente são mais bem vistas pela sociedade.

Hoje em dia, as pessoas cobram um posicionamento responsável e sustentável por parte das marcas. Isso significa que mais do que evitar prejuízos financeiros com multas, ser consciente ajuda a empresa a crescer.

Para entender um pouco mais sobre o assunto, neste artigo, será possível descobrir como evitar multas ambientais, qual é o conceito delas e de que maneira podem prejudicar a imagem da organização.

Como evitar as multas ambientais

As multas ambientais não foram criadas para prejudicar as empresas, na verdade, a intenção é fazer com que elas adotem uma postura sustentável e consciente para preservar o meio ambiente.

Isso significa que as organizações precisam seguir alguns padrões e procedimentos que evitam impactos negativos para o ecossistema. Além disso, podem adotar algumas práticas que evitam as multas. São elas:

Atentar-se ao licenciamento ambiental

Um fabricante de bateria de gel para carro precisa se atentar ao licenciamento ambiental, porque ele funciona como um instrumento importante de prevenção e fiscalização.

Esse documento foi instituído pela Política Nacional do Meio Ambiente, pela Lei Federal nº 6.938/1981, e engloba os empreendimentos ou atividades que utilizam recursos naturais que possam provocar a poluição ambiental ou sua degradação.

O documento autoriza a localização, ampliação, operação e instalação de empreendimentos e atividades em certos espaços.

Seu propósito é controlar as ações humanas que possam interferir no meio ambiente, além de conciliar o desenvolvimento econômico e a qualidade ambiental em espaços onde as pessoas moram, trabalham e convivem.

As organizações precisam estar atentas ao prazo das licenças, e esta preocupação é válida por conta de atividades que só podem ser executadas se tiverem a devida autorização.

Elaborar um plano de gerenciamento de resíduos

O plano de gerenciamento de resíduos sólidos (PGRS) é um documento que mostra de que maneira um fabricante de remédio homeopático para zumbido no ouvido pode gerenciar seus resíduos. É necessário especificar suas etapas, sendo:

  • Segregação;
  • Armazenamento;
  • Coleta;
  • Transporte;
  • Tratamento;
  • Destinação.

Ao fazer isso, a companhia garante a movimentação dos materiais e mostra que realizou o método correto para descartá-los, dentro das imposições legais.

Manter os contratos em dia

Mesmo que a empresa escolha contratar um fornecedor para tratar seus resíduos, ela precisa se responsabilizar por ações indevidas, caso aconteçam.

Isso faz com que o negócio seja parcialmente responsável pelo descarte indevido, tratamentos incorretos ou transporte de resíduos para tratamento em local inapropriado.

É muito importante estar atento, porque o fornecedor em questão deve estar cadastrado nos órgãos competentes e com o seu credenciamento em dia, por meio de contratos correspondentes às atividades que exerce.

Saiba o que são multas ambientais

Para facilitar ainda mais a prevenção, é muito importante entender o conceito de multas ambientais, que nada mais são do que sanções aplicadas para descumprimentos de regras jurídicas para proteção ambiental.

O órgão ambiental responsável por fiscalizar o uso de recursos naturais, bem como as licenças das companhias, é o Ibama (Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis), vinculado ao Ministério do Meio Ambiente.

Também existe o SISNAMA (Sistema Nacional de Meio Ambiente), que participa das averiguações necessárias. Empresas de todos os setores, como um fabricante de rodapé mdf sobrepor, precisam se atentar a esses órgãos.

Isso é importante porque estima-se que cerca de 16 mil multas são aplicadas anualmente, sendo que apenas 5% são pagos pelos devedores.

Existe a possibilidade de converter as multas em outras ações, como reconstruir áreas danificadas, dentre outras práticas.

Nesse sentido, caso seu negócio venha a ser multado, pode-se entrar em contato com os órgãos responsáveis para reverter a despesa e remediar a situação de outra maneira, desde que seja cabível e reparadora.

É dever do ser humano cuidar do planeta em que vive, afinal, de acordo com a própria Constituição Brasileira, todos os indivíduos têm direito ao meio ambiente ecologicamente equilibrado para garantir a qualidade de vida.

O governo tem o papel de aplicar meios de frear a degradação do ecossistema e algo que toda empresa receia é ter prejuízos financeiros.

Isso faz com que as organizações, como um fabricante de caneta promocional atacado, se atentem aos cuidados e obrigações necessários.

A multa ambiental tem o propósito de penalizar o infrator, ao mesmo tempo em que desestimula os demais a praticarem infrações, agindo de maneira educativa.

Só que, além de prejudicar o meio ambiente e ter muitos prejuízos financeiros, uma corporação que recebe uma multa desse tipo acaba tendo outros problemas.

Prejuízos para a imagem da empresa

Os impactos ambientais são provenientes de destruição de florestas, poluição de rios, dentre outras práticas que a população conhece muito bem.

Diante desses acontecimentos, surge a necessidade de preservar o meio ambiente, e as organizações precisam se atentar a esse fator.

O planeta Terra não precisa das pessoas para continuar existindo, mas o ser humano depende dele e de seus recursos para sobreviver, justamente por isso, as multas ambientais podem destruir a imagem do negócio.

Por outro lado, quando um hospital contrata uma boa empresa de coleta de residuos hospitalares, demonstra sua preocupação e responsabilidade com a natureza e com a própria sociedade.

Em contrapartida, receber uma multa é uma forma de evidenciar que a companhia está causando danos ao meio ambiente e descumprindo as leis ambientais. Isso faz com que as pessoas se sintam insatisfeitas e inseguras em relação à companhia.

A corporação não perde apenas a confiança de seus clientes, mas também de seus próprios colaboradores, fornecedores e investidores. Em linhas gerais, corre o risco de prejudicar as relações com qualquer indivíduo envolvido com sua marca.

É muito importante conhecer a legislação ambiental e compreender de que maneira evitar problemas e multas. Além de evitar prejuízos financeiros, reduz outros gastos e colabora com a sustentabilidade do planeta.

Principais tipos de multas

Um fabricante de malha de distribuição pode investir em várias ações que ajudam a preservar o planeta, mas, para garantir que está dentro de todos os parâmetros impostos, deve conhecer os principais tipos de multas.

Um deles é a multa por poluição, uma das causas mais comuns e voltadas para solos, rios, mares e ar. A poluição acontece quando a empresa descarta resíduos indevidamente, portanto, é necessário ter atenção.

Outra multa que costuma ser frequente é por conta de queimada e desmatamento, ações geralmente praticadas para o início de plantações e projetos de construção.

As queimadas são crimes ambientais porque poluem o solo e o ar, mas o desmatamento também pode trazer prejuízos financeiros, pois ocasiona a derrubada de árvores para construção e plantio.

Uma empresa de sistema de freio hidráulico se preocupa em agir corretamente perante os recursos naturais, sendo uma forma de evitar multas por construir em local proibido.

As empreiteiras não podem construir seus projetos em mangues, nascentes e rios, da mesma forma, nenhum tipo de negócio pode expandir seu estabelecimento físico nesses espaços.

As instalações nesses locais podem prejudicar o meio ambiente e, consequentemente, desencadeiam multas de valores altíssimos.

Por fim, outro tipo de multa bastante comum é devido à ausência de licenciamento ambiental. A partir do momento em que a empresa utiliza recursos naturais para criar seus produtos, precisa apresentar um licenciamento ambiental.

Se não tiver esse documento em mãos, é sinal de que não consultou os órgãos ambientais necessários para reduzir os impactos de suas atividades.

Em outras palavras, demonstra claramente que a companhia não se atentou a esses fatores e, por isso, não respeita as imposições legais relacionadas aos cuidados ambientais.

Considerações finais

As empresas, principalmente a indústria, como no caso de um fabricante de plataforma pantográfica hidráulica, colaboram com o crescimento e o desenvolvimento da sociedade e da economia.

No entanto, isso não significa que estão autorizadas a prejudicar o meio ambiente e seus recursos naturais. Quando isso acontece, recebem multas que prejudicam sua saúde financeira e sua imagem no mercado.

As multas ambientais são recursos usados pelos órgãos competentes para proteger a natureza e garantir a sustentabilidade necessária para a sobrevivência do homem e suas próximas gerações.