Desde que a internet se fortaleceu, o marketing e a publicidade viram, ali, uma forma de agregar novas possibilidades a todas as outras que já existiam. Desta maneira, novas nomenclaturas e conceitos foram criados.

E, com elas, veio a publicidade Nativa, que apesar de pouco comentada,  pode ser útil para marcas de setores tão distintos quanto os de Filtro coalescente, moda e beleza e etc. Ficou curioso e deseja compreender melhor sobre o tema? Então, vem com a gente.

O que é publicidade nativa?

Este conceito lida com uma mídia paga e já moldada para corresponder ao conteúdo de uma fonte. Um dos exemplos mais clássicos que podemos dar, é o seguinte: certa empresa faz investimentos para que um vídeo vá para o YouTube. 

Mas não para por aí. Pois foi projetado para combinar com o design visual e a função do conteúdo natural, aparecendo nos recomendados dos usuários. E com milhões de pessoas passando pelo site diariamente, tudo isso é efetivo a curto e médio prazo. E mesmo que o setor de Compressor de ar pistão esteja em alta, cada boom que tiver, será espetacular.

Por que a publicidade nativa é importante?

A publicidade nativa oferece a oportunidade de se conectar com os usuários em um formato de sua escolha, além de ser menos direto do que os formatos de anúncios tradicionais, como banners. 

Por conta desta proximidade entre empresa e cliente, produz uma alta taxa de cliques e conversões. É como se testasse diversas possibilidades de grama sintética para um campo de futebol e encontrasse, de fato, aquele modelo perfeito.

Por que os anunciantes escolhem este conceito?

Esses tipos de anúncios oferecem uma grande oportunidade de exposição criativa e os anunciantes podem ter certeza de que os usuários se aproximam do formato e geram gosto por ele. 

Quer exemplos? Expor recomendação e dicas no feed são opções populares de publicidade nativa, mas os anunciantes também podem distribuir conteúdos criativos e personalizados e isso será tão imprescindível quanto um Vidro termoelétrico para os cooktops.

Os desafios deste tipo de publicidade

Publicidade Nativa também apresenta vários desafios, principalmente porque o conceito tem a ver com anúncios que exigem uma compreensão mínima da plataforma (gerações mais antigas podem, por exemplo, não se sentirem tão confortáveis para se aproximarem). 

Quanto mais os anunciantes puderem aprender e oferecerem cursos para os colaboradores, melhor será a curto e médio prazo. No entanto, os benefícios superam as complexidades desses desafios. 

Ao adaptar a publicidade para as formas e funções de uma plataforma, há uma oportunidade de expor os usuários a um conteúdo exclusivo, que é particularmente atraente para seu público-alvo. Com o passar do tempo e com o bom trabalho feito por todos, terá resultados convincentes.

Voltamos a repetir que essa temática é viável pois, em praticamente todos os casos costuma superar os anúncios tradicionais. E mesmo que os usuários saibam que o conteúdo foi pago, a publicidade nativa obtém maior engajamento porque o conteúdo pode ser consumido de maneira natural e intuitiva.

É quase como se, dentro de uma novela ou filme, determinada marca fosse citada e passasse quase despercebida.

Como os usuários podem saber quando o conteúdo é publicidade nativa?

Existem leis e diretrizes legais em vigor para impedir que os anúncios nativos sejam enganosos. Por exemplo, muitas vezes você verá textos como “promovido por” ou “patrocinado” em uma miniatura, banner ou cabeçalho.

Essa é a forma encontrada (ao menos até o momento) para indicar que os usuários serão vinculados a conteúdo pago. Tudo isso ressalta não só a capacidade ímpar de reter clientes e conquistar mais lucros com isso, mas também o cuidado dos demais, que não fazem propagandas enganosas.

Já que é gestor, ambientar-se dessa nova linguagem ou contratar colaboradores experientes é um caminho a ser seguido. Caso for a estratégia escolhida, molde roteiros e textos com chamadas para ação, mas não só isso. Inove e tente olhar para algo que os concorrentes não viram.

A ideologia da Publicidade Nativa veio para ficar e quem seguir por um atalho diferente pode, em pouco tempo, perder força.