A região metropolitana de Campinas engloba diversos rios e nascentes e o cuidado e preservação deles é primordial para a preservação do meio ambiente e segurança de moradores dos municípios. Devido ao descarte indevido de lixos e entulhos, muitas vezes vindo dos próprios habitantes das regiões, a poluição hídrica é um dos principais fatores que pode provocar a escassez desse recurso natural e causar certos incidentes como alagamentos e enchentes. O problema não se trata de uma questão regional, mas sim mundial. Dessa forma, iniciativas de limpeza desses locais acabam tendo um papel de educação ambiental para a população.

Recentemente, a Amatrilha Trekkingo e a Embalixo, realizaram o projeto que auxilia na limpeza de rios e nascentes da região metropolitana de Campinas. “O projeto foi motivado pelo descaso das pessoas que frequentam a localidade e deixam lá os resíduos gerado por eles”, conta Roberto Pinheiro, idealizador do projeto Amatrilha. A ação, além de ajudar no controle de poluição, contribui para conscientizar a população do descarte correto de lixos e entulhos. “A limpeza dos rios nessa região é de vital importância, principalmente as nascentes e rios próximas à região de Joaquim Egídio que necessitam de manutenções regulares para se manterem saudáveis”, conta Rafael Costa, diretor de operações Embalixo.

Para auxiliar, a Empresa, que é líder nacional do seguimento de sacos para lixo, doou sacos para lixo para ajudar no descarte dos resíduos recolhidos na ação de limpeza. “Escolhemos o Embalixo Repelente para o projeto, pois, além de bloquear o mau cheiro, ajuda a afastar os insetos, devido a sua fórmula exclusiva que contém citronela, menta, limão e cravo”, explica. Também foram doados pallets de madeira para eventos realizados pela organização e suporte na divulgação do evento.

A ação beneficia as margens e leito do Rio Jaguary, localizado entre os municípios de Campinas, Pedreira e Morungaba. De acordo com a Amatrilha Trekking, são recolhidos, em média, cerca de 500 a 100 quilos de resíduos em cada ação feita. “Todos temos uma parcela de responsabilidade e auxiliar neste tipo de projeto nos dá esperança para que mais pessoas continuem propagando ideias e atividades como estas. Dessa forma, conseguimos evitar a poluição pelo descarte indevido”, comenta Costa.

Segundo ele, o mau descarte de resíduos é um dos principais causadores da poluição de rios e nascentes: “Além da poluição e intoxicação das águas, o mau hábito de descarte pode ocasionar enchentes e colocar em risco a vida dos animais e até mesmo a dos moradores da região. Projetos e ações como estas são fundamentais para ajudar na preservação do meio ambiente. Descartando o lixo corretamente, separando-o por classificações é sustentável e auxilia no cuidado de nossos recursos naturais”, completa.