Economia Heloisa Rocha Aguieiras

Como aproveitar melhor o restaurante a quilo

Como aproveitar melhor o restaurante a quilo

Segundo uma pesquisa feita pelo Instituto Good Service Brasil/CREST, em 2021 os gastos com alimentação fora de casa representaram um total de R$ 164,4 bilhões. Ainda conforme o estudo, o custo alimentar brasileiro por refeição foi, em média, de R$ 16,21. Dentre as opções disponíveis, estão os restaurantes a quilo, uns dos mais populares entre os trabalhadores. 

Os estabelecimentos que fornecem comida a quilo são conhecidos por oferecer praticidade na hora de elaborar o prato. Nesses restaurantes é possível encontrar diferentes opções de saladas, carnes, frutas, doces e frituras. 

No entanto, com tantas opções disponíveis, nem sempre é fácil fazer as escolhas corretas no restaurante a quilo. Enquanto algumas pessoas exageram na quantidade de alimentos no prato e acabam gastando mais no vale-refeição, outras fazem escolhas pouco saudáveis com alimentos ricos em sódio e açúcares.

Para aproveitar o melhor desses estabelecimentos, sem estourar o orçamento e prejudicar a saúde, é possível adotar algumas práticas simples. Analisar as opções disponíveis no estabelecimento antes de montar o prato, ter atenção aos horários das refeições e se atentar ao peso dos alimentos são algumas medidas que podem ajudar. 

Antes de se servir, analise as opções disponíveis 

Nos restaurantes a quilo, um dos fatores que mais chamam a atenção dos brasileiros é a farta quantidade de alimentos para compor o prato. No entanto, seja pela pressa ou fome, muitas pessoas chegam ao estabelecimento empolgadas e não param para analisar o cardápio. 

Essa impulsividade pode resultar em um prato mais pesado e mais caro ou no arrependimento de não ter feito a escolha que gostaria. Por esse motivo, assim que chegar ao restaurante, é importante conferir as opções do dia. 

Criar esse hábito ajuda a acertar nas escolhas e aproveitar melhor o cardápio, evitando muitas calorias e um valor maior descontado no vale-refeição. 

Atenção ao horário de ir ao restaurante 

Segundo a Associação Brasileira de Defesa do Consumidor (Proteste), fazer compras com fome não é a melhor opção para quem deseja economizar. O mesmo vale para quem frequenta o restaurante a quilo. Demorar muito para almoçar pode fazer com que as escolhas do cardápio não sejam as mais recomendadas.

Passar batido por saladas e ir direto para lasanhas, salgadinhos de festa, batata frita e alimentos mais calóricos é normal nessas situações. Por esse motivo, é importante manter o horário habitual das refeições para conseguir tomar decisões conscientes.

Além disso, existem alguns períodos do dia em que os restaurantes a quilo costumam estar com filas maiores. Evitar os horários do rush é uma boa opção para escapar da lotação e conseguir aproveitar as opções do cardápio. 

Se atente ao peso dos alimentos

Para quem quer se alimentar bem sem estourar o limite do vale-refeição, ter atenção ao peso dos alimentos também é importante. Alguns itens costumam ser mais volumosos e somar gramas a mais no prato. 

Lasanha, macarrão, quiche, palmito, frangos com ossos, tortas e muito molho podem elevar os números na balança. Se o desejo por esses alimentos for grande, pode ser interessante reduzir a quantidade de outros itens para matar a vontade, sem gastar demais. 

Faça escolhas saudáveis 

É possível se alimentar de forma saudável, comendo em um restaurante a quilo. Nesses estabelecimentos pode-se encontrar todos os nutrientes necessários para o corpo humano, mas é comum que as pessoas misturem alimentos do mesmo grupo em uma só refeição. 

Para montar um prato balanceado, a dica é seguir a Pirâmide dos Alimentos, criada pelo Departamento de Agricultura dos Estados Unidos, um documento educativo para ser seguido no dia a dia.

piramide compressed

Ilustração: Reprodução/Ministério da Saúde

A ideia é começar com uma quantidade maior de carboidratos, como arroz, macarrão e batata, seguido pelas verduras, frutas e legumes. Após, vale a pena inserir porções menores de alimentos do grupo de leites e derivados, carnes e feijões, finalizando com uma quantidade menor de gorduras e açúcares. 

Deixe a sobremesa por último

Algumas pessoas não resistem a uma sobremesa após as refeições. No entanto, deixar o doce para depois do prato principal evita desperdício de alimento e desconforto após a alimentação. 

Muitas vezes, as escolhas no restaurante a quilo garantem saciedade e a sobremesa acaba sendo consumida contra a vontade, por já ter sido registrada na ficha do cliente. 

Se após a refeição ainda existir a vontade de comer um doce, é hora de voltar à bancada para fazer o prato de sobremesa. Uma boa ideia é deixar de lado os doces preparados e investir em frutas, alimentos in natura, fontes de nutrientes e vitaminas. 

Heloisa Rocha Aguieiras

Sobre o autor Heloisa Rocha Aguieiras | Website

Heloisa Rocha Aguieiras 55 anos – formada em Jornalismo pela UFJF – Universidade Federal de Juiz de Fora – MG Pauteira da Ag Experta Media Fui repórter dos impressos: Jornal Comércio da Franca (Franca-SP) Jornal do Sudoeste (São Sebastião do Paraíso -MG) Fui assessora de Comunicação na Ag A Expressão 5 (SP) Atuo como revisora Faço locução Portfólio: https://heloaguieiras.com/

Por gentileza, se deseja alterar o arquivo do rodapé,
entre em contato com o suporte.

Este site usa cookies e outras tecnologias similares para lembrar e entender como você usa nosso site, analisar seu uso de nossos produtos e serviços, ajudar com nossos esforços de marketing e fornecer conteúdo de terceiros. Leia mais em Política de Cookies e Privacidade.