continua após a publicidade

Fornecer um ambiente de trabalho seguro para os colaboradores é uma obrigação imposta pela lei para qualquer empresa, e quando falamos nesse assunto, significa literalmente, trazer um ambiente protegido e que se antecipe a qualquer possível problema, incluindo os relacionados a incêndios. 

Entre o período de maio de 2021 até abril de 2022, foram registradas cerca de 252 ocorrências de incêndios estruturais no setor industrial, um aumento de quase 17% em comparação ao ano anterior, isso faz com que as preocupações dentro das empresas em relação aos incêndios seja algo cada vez mais procurado, independente do segmento. 

A lei responsável por garantir toda a segurança relacionada a esse tipo de acidente, é a Lei Federal 13.425/17, entre os seus diversos artigos, uma das obrigações é justamente a utilização de Luminária De Emergência dentro de qualquer corporação, com sua devida sinalização. 

No texto de hoje, iremos falar sobre esse objeto tão importante mas muitas vezes, deixado de lado por diversas empresas, bora conferir um pouco mais sobre os extintores e todos os detalhes deles dentro de qualquer negócio, confira!

Os extintores de incêndio são obrigatórios nas empresas?

A primeira dúvida que sempre surge é se os extintores de incêndio são realmente obrigatórios dentro das empresas, e de forma direta sim, são obrigatórios em todos os estabelecimentos, independente se forem de porte pequeno, médio ou grande. 

As empresas não só são responsáveis pela instalação do equipamento e da central de alarme de incêndio de maneira geral, como também se encarregam da inspeção técnica e manutenção dos extintores, em casos de edifícios de grande porte, ainda cabe a responsabilidade de outras medidas de segurança, como sinalização de rota de fuga, porta corta fogo e saídas de emergência. 

A norma completa que indica as obrigações relacionadas a incêndio é a famosa Norma Regulamentadora 23, que aborda todos os temas relacionados a essa proteção dentro do ambiente de trabalho, abaixo, falamos um pouco mais sobre ela e sua atuação. 

O que diz a NR 23?

A NR-23 estabelecida pelo Ministério do Trabalho e Emprego, garante a total segurança e o uso correto de equipamentos contra incêndios, protegendo os funcionários caso ocorra algum acidente, vale ressaltar também, que essa é uma dos principais requisitos para obter a certificação ISO 45001. 

De acordo com essa norma, as principais obrigações que uma empresa tem é a proteção contra incêndio; saídas suficientes para retirada rápida de pessoas em serviços; equipamentos suficientes para combater o fogo, incluindo é claro os extintores e pessoas treinadas para usar corretamente esses equipamentos. 

Existem algumas outras maneiras de impedir o incêndio, como o uso de Impermeabilizante Para Laje, mas esses não são obrigatórios.

Vale ressaltar que, em caso de incêndio, a central de alarme de incêndio deve ser ativada, as máquinas e aparelhos elétricos desligados e o Corpo de Bombeiros acionado e as pessoas devem se retirar do local de forma calma e ordenada. 

O que o uso incorreto do extintor pode gerar?

O uso do extintor deve ser sempre relacionado ao tipo de incêndio que foi causado, já que cada um, é mais eficaz em determinadas situações, lembrando que, não possuir um extintor pode gerar multas graves para a empresa, podendo variar de R $200,00 até R $11.080,00.

Além de sua ausência, é obrigatório que a pessoa que manuseie o extintor saiba exatamente o que está fazendo, e também como citamos acima, é preciso ter o equipamento certo correspondente a cada tipo de incêndio.

Qual extintor escolher?

Existem várias classes de fogo diferentes divididas em A,B, C, D e K, a classe A é causada por materiais sólidos como papel, madeira e tecidos. A classe B é formada por materiais líquidos ou gases inflamáveis como gasolina, querosene, óleo e parafina. 

A classe C são os incêndios em equipamentos elétricos energizados como geradores, quadro de força, servomotor, computadores, entre outros. Já o D são causados por metais pirofóricos como zinco, titânio e urânio. Por fim, o K são causados por óleo de cozinha e gorduras. 

O extintor de tipo “espuma”, combatem a classe A e B, já os tipos de “dióxido de carbono” devem ser usados na classes B e C, os extintores do tipo “químico seco” também são usados nas classes B e C, enquanto os de “água pressurizada” devem ser usados exclusivamente no tipo A. 

Dessa forma, é sempre importante verificar quais são as especificações da sua empresa, qual o tipo de material mais comum e o que é necessário, verifique esses detalhes e esteja sempre cumprindo as leis e normas obrigatórias relacionadas a incêndio. 

O que achou do texto de hoje? Deixe sua opinião nos comentários abaixo e não se esqueça de compartilhar com seus amigos e familiares, até a próxima!

Esse artigo foi escrito por Iago Lourenço, criador de conteúdo do Soluções Industriais.

continua após a publicidade
Artigo anteriorBolo de banana com caramelo
Próximo artigoComo fazer um pós-venda eficiente
Soluções Industriais
Somos a maior plataforma B2B da América Latina e temos o objetivo de facilitar o contato entre as indústrias e os seus clientes em potencial, além de mantê-los atualizados com as inovações e as últimas notícias sobre o mercado industrial. Pensando nisso, utilizamos a estratégia de guest post que contribui para a relevância dos blogs na internet.