Pequenos negócios: como o ‘conciliador de cartões’ pode ajudar

Mais da metade (56%) dos pequenos negócios no Brasil utilizam a maquininha de cartão, segundo levantamento realizado pelo Sebrae em 2021. O dado representa um aumento considerável no intervalo de cinco anos. Em 2016, a mesma pesquisa apontou que 39% dos estabelecimentos de pequeno porte ofereciam as opções de pagamento nos cartões de débito ou crédito para os clientes.

De acordo com as informações do Sebrae, o crescimento do uso da máquina de cartão está relacionado ao interesse de aumentar as vendas, a satisfação dos consumidores e a segurança, já que, assim, há a diminuição da quantidade de dinheiro em espécie no caixa. Outro fator que motiva a adoção dos meios digitais de pagamento é a redução da inadimplência.

Na avaliação do presidente do Sebrae, Carlos Melles, o resultado da pesquisa mostra a adaptação dos pequenos negócios ao novo comportamento do público. “Os empreendedores sabem que precisam se adequar às exigências dos consumidores e acompanhar as tendências de mercado”, afirmou à Agência Sebrae.

Diante do processo de digitalização, as adaptações não se restringem apenas ao atendimento, mas ao trabalho de gestão dos pequenos negócios como um todo.

Conciliação de cartões

O serviço de conciliador de cartões é um processo de controle e gerenciamento das vendas realizadas no débito e no crédito. Para isso, é feita a aferição dos valores repassados pela operadora ao empreendedor, considerando os descontos referentes à cobrança de taxas e ao aluguel da maquininha.

O trabalho de conciliação de cartões pode ser manual ou automático, por meio de um software que faz as conferências. Independente de qual seja a escolha do empreendedor, especialistas aconselham que o trabalho não deixe de ser realizado devido à importância para a saúde financeira do negócio.

A consultora financeira Patrícia Pazold, em artigo publicado pela revista Seguro Total, explica que a conciliação de cartões reduz os riscos de a empresa pagar encargos mais altos do que o que foi estipulado em contrato, não receber os valores devidos por conta de erros de transmissão e ser vítima de fraudes.

A especialista destaca, também, que o serviço possibilita um planejamento do fluxo de caixa mais eficiente. Por meio da conciliação de cartões, é possível verificar o registro de todas as operações, identificar divergências, controlar prazos, realizar a gestão de recebíveis e evitar o prejuízo financeiro. 

Empresários sugerem melhorias

Os pequenos empresários ouvidos pela pesquisa do Sebrae sugeriram melhorias para o uso das maquininhas de cartão. A redução das taxas cobradas pelas operadoras foi a proposta citada por 73% dos entrevistados. Outro aspecto que pode ser melhorado é com relação à conexão, segundo 45% dos empresários. Mas, apesar de sugerirem melhorias, 86% informaram que nunca tiveram problemas com os aparelhos.

Dentre a parcela de empreendedores que ainda não oferece meios digitais para o pagamento dos consumidores, 20% alegam que o volume de vendas é insuficiente para criarem o sistema. Outros 33% afirmaram preferir usar outros sistemas, como dinheiro em espécie, cheque ou boleto.

Sem avaliações ainda
Avatar
Heloisa Rocha Aguieiras 55 anos – formada em Jornalismo pela UFJF – Universidade Federal de Juiz de Fora – MG Pauteira da Ag Experta Media Fui repórter dos impressos: Jornal Comércio da Franca (Franca-SP) Jornal do Sudoeste (São Sebastião do Paraíso -MG) Fui assessora de Comunicação na Ag A Expressão 5 (SP) Atuo como revisora Faço locução Portfólio: https://heloaguieiras.com/