Meio Ambiente

Chuvas prejudicam cultivo de maçã em Fraiburgo (SC)

As grandes quantidades de chuvas nos últimos meses afetaram diretamente o cultivo de maçã na região Sul do país. Como consequência do grande volume de chuva registrado, ocorreu a redução de oferta do produto, resultando no aumento do preço. A situação foi divulgada no dia 26 de janeiro pela Companhia Nacional de Abastecimento (Conab). O estudo analisou os preços de comercialização no atacado em dezembro do ano passado.

Na cidade de Caçador, o volume de chuva registrado nos meses de novembro e dezembro totalizou 421,3 mm, segundo informações da meteorologista da Climatempo, Bianca Lobo. A cidade de Fraiburgo, importante produtora de maça sentiu os reflexos desta grande quantidade de chuva e registrou prejuízos durante a fase de cultivo da cultura.

A região de Santa Catarina é forte produtora de maçãs, por isso o impacto foi tão grande. Albino Bongiolo Neto, agrônomo da Fischer Agroindústria, conta que quando ocorre o excesso de chuvas, é preciso redobrar o cuidado na plantação, já que a chance de ser prejudicada por doenças é maior. “Esse ano choveu exageradamente, muito acima da média. Se não cuidar da plantação temos problema com a qualidade da fruta”, diz.

Albino também ressalta que, além da chuva, a falta de frio causada pelo El Niño no último inverno acabou influenciando na quantidade da produção. A combinação de temperaturas altas e chuvas durante a florada também diminuiu o trabalho das abelhas durante a polinização.

Esse mesmo cenário foi observado por Pierre Nicolas Pérès, presidente da Associação Brasileira de Produtores de Maçã (ABPM). Ele explica que as condições durante a florada foram ruins, o que justifica a safra menor do que o esperado. “Mesmo sem o frio, o que mais afetou foi uma geada de outubro durante a florada, parte destas flores foram queimadas. A chuva complicou o quadro que já não estava bom”, conta.

Para o cultivo ideal da maçã, o clima deve estar equilibrado. Inverno frio, primavera fresca, verão quente (sem passar dos 30ºC) e chuvas regulares. A previsão é que o preço da fruta continue alto neste primeiro trimestre de 2016, devido à expectativa de precipitações.

Tags
Ler matéria completa

Vagner Liberato

Meu nome é Vagner Liberato, sou carioca e vivo no Rio de Janeiro.
Formei-me em Administração de Empresas e sou um apaixonado por conteúdo sustentável.
Desde 2015 faço o Jornal Sustentabilidade com maior prazer!

Para falar comigo, entre em contato pelo email:
contato@meioambienterio.com

Related Articles

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Close

Adblock Detected

Please consider supporting us by disabling your ad blocker