Meio Ambiente

Expedição registra exemplar de ave rara no RS

Ameaçado de extinção, cardeal-amarelo foi fotografado na Serra do Sudeste, onde não era visto há mais de 15 anos.

 

DA COMUNICAÇÃO ICMBIO

Boa notícia para a preservação da fauna brasileira: pesquisadores acabam de registrar um exemplar do cardeal-amarelo (Gubernatrix cristata) na região da Serra Sudeste, no Rio Grande do Sul. A ave, uma das mais ameaçadas do País, não era vista há mais de 15 anos na região, onde já era considerada extinta. Atualmente, avalia-se que existam apenas 50 indivíduos na natureza.

A descoberta foi feita na semana passada, durante expedição ao local, da qual participaram servidores do Centro Nacional de Conservação e Pesquisa de Aves Silvestres (Cemave), do Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio). A expedição tinha, exatamente, o objetivo de confirmar suspeitas da presença de exemplares da ave na região.

O pássaro, um macho adulto da espécie, foi avistado no segundo dia da expedição. A ave foi fotografada e filmada no ambiente natural e, depois, capturada para marcação individual, o que permitirá seu monitoramento ao longo do tempo. Também foram coletadas amostras que permitirão análises genéticas e de saúde da ave, rara e especial.

A expedição foi custeada com recursos da Secretaria de Meio Ambiente do Rio Grande do Sul (Sema) e envolveu instituições que atuam na execução do Plano de Ação Nacional para a Conservação dos Passeriformes Ameaçados dos Campos Sulinos e Espinilho – PAN Campos Sulinos e Espinilho. Além do Cemave e do Setor de Fauna Silvestre da Sema, participaram a Fundação Zoobotânica do Rio Grande do Sul e o Laboratório de Ornitologia da Pontifícia Universidade Católica (PUC) do Rio Grande do Sul.

CANTO EXTRAORDINÁRIO

O cardeal-amarelo é um pássaro de beleza e canto extraordinários. A única população conhecida e monitorada no Brasil está restrita ao Parque Estadual do Espinilho e arredores, no extremo oeste do Rio Grande do Sul. Há mais de uma década, a a espécie era tida como extinta na região da Serra do Sudeste. Mas a suspeita de que ainda pudesse existir uma pequena população isolada nessa região persistia com base em relatos e evidências indiretas. Isso motivou as instituições executoras do PAN Campos Sulinos a ir até o local.

“O resultado da expedição foi extremamente positivo e traz nova esperança para a conservação da espécie”, afirmou Patricia Serafini, da base do Cemave/ICMBio em Florianópolis (SC), ao destacar que o registro, após mais de 15 anos sem ocorrências confirmadas na Serra do Sudeste, mostra que o cardeal-amarelo não está confinado ao Parque Estadual do Espinilho e arredores como se suspeitava antes.

Patrícia explica que a descoberta tem implicações para a conservação da espécie, uma vez que será necessário reavaliar as estratégias e envolver mais proprietários de áreas privadas no programa. “Existe a expectativa de que este seja apenas o primeiro de novos registros na região e que a conscientização da população sobre a importância da preservação da biodiversidade seja a força motivadora da mudança de atitude e do fim da captura ilegal”, disse a pesquisadora.

AMEAÇAS

A captura e o comércio ilegal de cardeais-amarelos para criação em cativeiro são as principais ameaças à espécie e foram responsáveis pelo desaparecimento do pássaro nessa região nas últimas décadas, bem como ao longo de toda sua distribuição que se estende ao território uruguaio e argentino.

A luta contra o tráfico deverá intensificar-se com a fiscalização e a punição aos infratores, a fim de se manter esta ave na natureza. Mas, é importante, também, que haja a conscientização e a participação das pessoas nas ações de conservação. “Espera-se que o destino deste indivíduo localizado e marcado na Serra do Sudeste seja bem diferente daquele que tiveram outros de sua espécie na região”, disse a analista do Cemave.

SAIBA MAIS:

PAN CAMPOS SULINOS

Diante da ameaça do tráfico ilegal e da pressão de captura sobre o cardeal-amarelo, assim como a destruição de seu habitat, diversas instituições se uniram em 2011 para trabalhar em prol da conservação dessa e de outras espécies ameaçadas do Pampa, engajando-se no Plano de Ação Nacional para a Conservação dos Passeriformes Ameaçados dos Campos Sulinos e Espinilho (PAN Campos Sulinos e Espinilho).

Os planos de ação nacionais para a conservação de espécies ameaçadas de extinção têm a finalidade de unir os esforços de diversos setores da sociedade no desenvolvimento de ações para a conservação e a recuperação das espécies, como um dos instrumentos de implementação da Política Nacional da Biodiversidade.

O PAN Campos Sulinos e Espinilho foi aprovado pela Portaria ICMBio n.º 21, de 17 de fevereiro de 2012, e é coordenado pelo Centro Nacional de Pesquisa e Conservação de Aves Silvestres (Cemave) do ICMBio, com o auxílio do Grupo Assessor, instituído pela Portaria ICMBio em 2 de março de 2012.
Assessoria de Comunicação Social (ICMBio)

Tags
Ler matéria completa

Vagner Liberato

Meu nome é Vagner Liberato, sou carioca e vivo no Rio de Janeiro.
Formei-me em Administração de Empresas e sou um apaixonado por conteúdo sustentável.
Desde 2015 faço o Jornal Sustentabilidade com maior prazer!

Para falar comigo, entre em contato pelo email:
contato@meioambienterio.com

Related Articles

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Close

Adblock Detected

Please consider supporting us by disabling your ad blocker