Meio Ambiente

Jovens católicos de todo mundo apelam para que seus governos invistam em energias limpas

Cracóvia, segunda-feira 25 de julho: Durante a Jornada Mundial da Juventude – uma semana de encontros entre o Papa Francisco e dois milhões de jovens católicos que acontecerá na cidade de Cracóvia, na Polônia, de segunda-feira, 25, até o domingo, 31 de julho – duas organizações internacionais que representam cerca de 10 milhões jovens estudantes católicos divulgaram hoje um comunicado (disponível on-line aqui) apelando aos governos para investir agora nos postos de trabalho sustentáveis e éticos que esta e as futuras gerações de estudantes e jovens virão a ocupar nos anos vindouros.

O Movimento Internacional de Estudantes Católicos (IMCS-MIEC Pax Romana) e os Jovens Estudantes Católicos Internacionais (IYCS / JECI), que representam movimentos estudantis nacionais católicos em mais de 100 países, disseram que o comunicado era sua aceitação do convite feito pelo Papa Francisco em junho de 2015 na Encíclica Laudato Si’ se unir para, nas palavras de IMCS e IYCS, “discutir, debater e celebrar a nossa relação com o ambiente, com o outro, com a economia, com o trabalho e com muitos outros aspectos interligados da vida”.

Dado os níveis extremamente elevados de desemprego entre os jovens em muitos países e as referências da encíclica ao “valor do trabalho”, as duas organizações sugerem que a substituição de empregos insustentáveis, como os da indústria de combustíveis fósseis, pelos postos de trabalho éticos do futuro, tais como os do setor de energia limpa, deveria ser uma prioridade para os governos.

“Se os governos são sérios sobre a redução do desemprego juvenil de forma ética, sem ameaçar a qualidade de vida das gerações futuras, eles simplesmente têm de investir agora em encontrar alternativas para aqueles empregos que poluem o ambiente e contribuem para as alterações climáticas – os quais todos os países já concordam em não podem existir no longo prazo “, disse Richard Apeh, Secretário Geral da organização Jovens Estudantes Católicos Internacionais.

A declaração também apela a outros jovens a “trabalhar e ser agentes de mudança em suas comunidades”, a fim de “criar um novo mundo marcado pela solidariedade, estilos de vida ecologicamente responsáveis, justiça e paz”.

“Nossa fé nos encoraja a dar o exemplo, a fim de trazer o melhor da sociedade”, disse Edouard Pihewa Karoue, Presidente Internacional do Movimento Internacional de Estudantes Católicos. “Durante a próxima semana de festividades, quando pessoas de todo o mundo se reúnem para compartilhar sua fé, estudantes católicos estão enviando uma mensagem muito positiva: esta Terra, que dedicamos o nosso tempo para estudar, é um lugar incrível, um presente. Juntamente com os governos e outros jovens, temos uma oportunidade de avançar para reformar nossos sistemas e modos de vida para melhor, protegendo tanto o nosso ambiente como a dignidade humana “.

A declaração é apenas um dos muitos esforços globais para espalhar a mensagem da encíclica durante o Dia Mundial da Juventude. Como parte da campanha #LiveLaudatoSi, o Movimento Católico Climático Global criará uma Ecovila na Cracóvia, onde realizará oficinas interativas com jovens católicos sobre como eles podem colocar a Encíclica em prática e viver de forma mais sustentável.

Também no dia de hoje, 25 de julho, a Universidade Jagellonian vai sediar uma conferência intitulada ‘Ecologia Integral de Laudato Si’: a juventude como protagonista da mudança’, com o arcebispo de Cracóvia, o Presidente da Comissão Organizadora do Dia Mundial da Juventude, o Ministro do Ambiente da Polónia e um dos conselheiros mais próximos do Papa sobre a Encíclica, H.E. Cardeal Peter Turkson.

“Esta declaração de estudantes católicos mostra o quanto a Encíclica empoderou os jovens para lutar por um mundo melhor”, disse Tomàs Insua, fundador coordenador do Movimento Católico Global pelo Clima e Fulbright Scholar na Harvard Kennedy School. “Não são só os jovens que foram inspirados na encíclica – o ano passado viu políticos, investidores e empresários de todas as fés e mesmo sem professar uma fé mudarem a maneira de viver e trabalhar depois de ler o texto do Papa. A escala do desafio ambiental e climático exigirá que todos nós trabalhemos juntos”.
O Movimento Internacional de Estudantes Católicos (IMCS-MIEC Pax Romana), co-signatário da declaração, nasceu em 1921 sob o nome de “Pax Romana”. Ele representa estudantes universitários e do ensino superior em nível internacional e também perante a ONU, onde tem status consultivo junto ao Conselho Econômico e Social (ECOSOC) e é ativo em várias instituições juvenis da ONU, como UNMGCY (Major Group das Nações Unidas para a Infância e Juventude) e ICMYO (Encontro Internacional de Coordenação de Organizações da Juventude). O IMCS trabalha com a UNESCO como uma ONG parceira, essencialmente, sobre os temas do diálogo inter-religioso (cultural) e construção da paz. Tem 80 federações nacionais filiadas.

Os Jovens Estudantes Católicos Internacionais (IYCS / JECI), co-signatário da declaração, é uma rede global de movimentos nacionais de alunos católicos com estatuto consultivo geral junto ao ECOSOC e status operacional com a UNESCO, e tem como objetivo incentivar os alunos a olhar para o mundo a partir da perspectiva dos pobres, com um compromisso com a solidariedade global, liberdade, justiça e paz. O IYCS tem 87 Movimentações de membros em 83 países.

O Movimento Católico Global pelo Clima (GCCM) é uma rede internacional de mais de 250 organizações católicas e indivíduos dedicados a cuidar da criação de Deus, os pobres e as gerações futuras.

Tags
Ler matéria completa

Vagner Liberato

Meu nome é Vagner Liberato, sou carioca e vivo no Rio de Janeiro.
Formei-me em Administração de Empresas e sou um apaixonado por conteúdo sustentável.
Desde 2015 faço o Jornal Sustentabilidade com maior prazer!

Para falar comigo, entre em contato pelo email:
contato@meioambienterio.com

Related Articles

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Close

Adblock Detected

Please consider supporting us by disabling your ad blocker