Meio Ambiente

Acre lança Plano de Desenvolvimento do Bambu

Agricultores, pesquisadores, professores, profissionais da construção civil, empresários e gestores públicos do Acre e de outros estados participaram do Seminário Biodiversidade na Economia, nos dias 27 e 28 de julho, no espaço industrial da Expoacre. Realizado pela Secretaria de Estado de Ciência e Tecnologia (Sect) e Fundação de Tecnologia do Acre (Funtac), o evento marcou o lançamento do Plano de Desenvolvimento Estadual da Cadeia Produtiva do Bambu, elaborado pelo governo, em parceria com a Embrapa e outras instituições, e divulgou o Centro Vocacional Tecnológico (CVT) dessa matéria-prima no Acre.

O pesquisador Eufran Amaral, chefe-geral da Embrapa Acre, destacou o Seminário como um momento singular por reunir a experiência de 12 anos com o bambu, planta estratégica para o Acre, e ressaltou a importância do planejamento estratégico em torno da planta. “O Plano Estadual do Bambu vai permitir avanços para melhoria das pesquisas visando à geração de conhecimentos para aproveitamento deste recurso natural, mas principalmente beneficiar produtores extrativistas, atores que desempenham papel fundamental neste processo, com ações que poderão resultar em mais qualidade de vida no campo”.

Por ser uma planta nativa e abundante na Amazônia, o bambu representa uma alternativa para geração de emprego e renda para agricultores familiares e pode incrementar inúmeros nichos mercadológicos, especialmente a construção civil. Segundo a secretária de Ciência e Tecnologia do Acre, Renata Souza, o documento faz uma projeção das atividades que serão desenvolvidas até 2025, com indicação de diretrizes de atuação. “Além de pesquisa e fomento, o documento prevê ações com foco na industrialização e no mercado do bambu, para garantir sustentabilidade à cadeia produtiva do bambu no Acre”, destaca.

Reconhecimento

Durante o evento os participantes também conheceram iniciativas de uso sustentável do bambu e as perspectivas de negócio envolvendo a cultura no Acre e em outros estados, entre outras temáticas relacionadas. O pesquisador Elias Miranda contextualizou as pesquisas desenvolvidas pela Embrapa com a planta, trabalho que iniciou há sete anos. Um dos enfoques dos estudos realizados pela empresa é a produção de mudas em laboratório, por propagação in vitro, e no campo, pelo método convencional de enraizamento de estacas. “Os resultados desse trabalho poderão viabilizar cultivo da planta e garantir a oferta de matéria prima para diferentes segmentos do mercado do bambu”, afirma.

Para Miranda o Plano Estadual do Bambu representa o reconhecendo oficial do bambu como prioridade para o estado e sinaliza que o governo local vai investir na cultura. Além de sistematizar as atribuições de cada instituição envolvida com o bambu, o Plano norteia direcionamentos políticos e legais para garantir o aproveitamento desse recurso e detalha as possíveis fontes financiadoras das ações previstas. A parceria com instituições de pesquisa de diversas esferas vai potencializar a execução das atividades e os resultados esperados”, ressalta.

Referência

O Centro Vocacional Tecnológico (CVT) bambu é um órgão vinculado à Fundação de Tecnologias do Acre (Funtac), criado com apoio do Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação para atuar na promoção de pesquisas e capacitações voltadas para o desenvolvimento de serviços e produtos com base nessa matéria prima. O objetivo é fortalecer os sistemas produtivos locais por meio da extensão tecnológica, desenvolvimento de tecnologias sociais e realização de atividades de educação profissional com ênfase na cadeia produtiva do bambu. O programa de cursos inicia ainda este ano e beneficiará cerca de 400 extrativistas.

O Acre possui uma das maiores reservas naturais de bambu do planeta. A planta, encontrada em mais de quatro milhões de florestas do estado, é estudada pela Embrapa desde 2009 com o objetivo de melhorar práticas de manejo e cultivo e viabilizar o seu uso como fonte de renda pelas famílias rurais.

Boa parte das ações previstas no planejamento estadual serão realizadas no espaço do CVT Bambu, incluindo o tratamento o tratamento e transformação da madeira em laminados. “A criação de uma política própria para desenvolvimento do bambu abre caminho para a inserção do Acre nesse mercado. A ideia é que o estado se torne referência em pesquisas e beneficiamento dessa matéria prima”, diz a secretária Renata Souza.

Diva Gonçalves (Mtb-0148/AC)
Embrapa Acre
acre.imprensa@embrapa.br
Telefone: (68) 3212-3250

Colaboração: Priscila Viudes (Mtb-030/MS)
Embrapa Acre
acre.imprensa@embrapa.br
Telefone: (68) 3212-3250

Tags
Ler matéria completa

Vagner Liberato

Meu nome é Vagner Liberato, sou carioca e vivo no Rio de Janeiro. Formei-me em Administração de Empresas e sou um apaixonado por conteúdo sustentável. Desde 2015 faço o Jornal Sustentabilidade com maior prazer! Para falar comigo, entre em contato pelo email: contato@meioambienterio.com

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Close