Meio Ambiente

Proposta exige Plano de Segurança de Barragem para licença de operação

Avaliar postagem!

Está em análise na Câmara dos Deputados proposta que faz uma série de mudanças na Política Nacional de Segurança de Barragens (PNSB) (Lei 12.334/10). Uma delas estabelece a elaboração do Plano de Segurança de Barragem (PSB) como condição prévia para a obtenção de licença de operação do empreendimento.

A medida está prevista no Projeto de Lei 4287/16 da comissão externa criada para acompanhar e avaliar os desdobramentos do rompimento da barragem da região de Mariana (MG).

A elaboração do PSB é de competência da empresa responsável pela barragem. O documento contém dados técnicos sobre a obra e protocolos de segurança em caso de desastre, entre eles o Plano de Ação de Emergência (PAE). “Consideramos urgente que a norma exija uma percepção de risco das instituições públicas e privadas envolvidas com a manutenção e a fiscalização das barragens, para a prevenção de desastres”, diz a justificativa do projeto.

Simulação de desastres
O texto, assinado pelo coordenador da comissão externa, o então deputado Sarney Filho (PV-MA), hoje ministro do Meio Ambiente, também garante a instalação de sirene de alerta nas comunidades situadas a jusante da barragem e a realização periódica de simulação de desastres. O objetivo é conscientizar a população para o risco de vazamento e diminuir o impacto social do desastre.

O projeto prevê ainda a participação das comunidades e dos órgãos de proteção e defesa civil na elaboração e implantação do PAE, que passa a ser obrigatório inclusive para barragens desativadas. “Razão pela qual as comunidades situadas a jusante devem ser conscientizadas e treinadas para essa possibilidade, mesmo que remota”, diz o texto.

A matéria prevê ainda que o órgão fiscalizador deverá informar imediatamente à Agência Nacional de Águas (ANA) e ao Sistema Nacional de Proteção e Defesa Civil (Sinpdec) sobre qualquer circunstância que represente risco para a segurança da barragem.

Leia agora  Oficina debate em Brasília Plano de Adaptação

Tramitação
O projeto tramita apensado ao PL 3775/15. O texto ainda será analisado pelas comissões de Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável; e de Minas e Energia, antes de ser analisado em Plenário.

ÍNTEGRA DA PROPOSTA:

Reportagem – Emanuelle Brasil
Edição – Regina Céli Assumpção

Sobre o autor | Website

Meu nome é Vagner Liberato, sou carioca e vivo no Rio de Janeiro. Formei-me em Administração de Empresas e sou um apaixonado por conteúdo sustentável. Desde 2015 faço o Meio Ambiente Rio com maior prazer! Para falar comigo, entre em contato pelo email: contato@meioambienterio.com

Para enviar seu comentário, preencha os campos abaixo:

Deixe uma resposta

*

Seja o primeiro a comentar!

Por gentileza, se deseja alterar o arquivo do rodapé,
entre em contato com o suporte.