Meio Ambiente

Líderes são preparados para a gestão das empresas rurais

Avaliar postagem!

Conhecimento, organização, planejamento e mudanças são fundamentais no processo de gerenciamento dos negócios. Estes foram os aspectos principais abordados na segunda aula do 4º módulo do Programa Jovemcoop, realizada na última semana para quatro turmas nos municípios de Iporã do Oeste, Cunha Porã, Pinhalzinho e Chapecó. O Programa Jovemcoop é desenvolvido pelo Serviço Nacional de Aprendizagem do Cooperativismo de Santa Catarina (Sescoop) e, na região, foi implementado com a parceria das cooperativas Cooper A1, Auriverde, Cooperitaipu e Cooperalfa.

Com a temática “Gestão Rural (5S)”, os participantes aprenderam sobre as medidas que o produtor deve adotar para otimizar as atividades, a exemplo de conservar a propriedade apenas com o que for útil; organizar objetos, materiais e equipamentos; manter tudo em condições de uso; e criar controles para a gestão da empresa rural e para auxiliar na tomada de decisão.

O módulo, segundo o instrutor Ivan Antônio Brustolin, apresenta a importância da gestão rural e da liderança de cada jovem. Para atingir os resultados esperados é trabalhada a necessidade de mudanças de hábitos e costumes com o resgate de como as famílias trabalhavam antigamente e como atuam hoje. “Também valorizamos a família com a reflexão do porquê fomos criados, quais são nossos objetivos e no que precisamos alterar e adaptar”, explica.

Para a gestão rural, Brustolin realça a importância dos controles e registros, de avaliar ou medir o desempenho, de comparar os resultados a exemplo do lote de aves do ano anterior com o atual. Para o instrutor, o empresário rural deve definir qual a propriedade dos seus sonhos para, depois, estabelecer metas e ações que a tornem realidade. “O produtor do futuro precisa ser um ótimo gestor do negócio, ser empreendedor, conhecer o mercado, ter motivação e gostar do que faz, quebrar barreiras, mudar quando necessário para ver o progresso e o desenvolvimento da empresa rural”, comenta.

Leia agora  Rio 2016: Jogos Olímpicos x Esgoto

No meio rural, independente da atividade, há variáveis, índices e dados que devem ser analisados antes de uma decisão. “A qualificação profissional e a busca constante pelo conhecimento devem ser metas permanentes do jovem empreendedor rural, que precisa compreender a macroeconomia e entender de sua microeconomia, ou seja, a produtividade, os desafios e possíveis gargalos na propriedade”, destaca o assessor de comunicação social da Cooperalfa e um dos coordenadores do programa na cooperativa, Vilmar Bosco.

MÓDULO

Na primeira aula do 4º módulo foram trabalhados conceitos de fluxo de caixa, custo de produção, aplicação das planilhas, indicadores, orçamento anual e planejamento da produção alinhado com as necessidades, orçamentos e reservas. Os participantes receberam planilhas para calcular o custo na avicultura, suinocultura, bovinocultura de leite e lavoura.

Nos próximos encontros, a ênfase será no balanço patrimonial, os indicadores que auxiliam na tomada de decisão, planejamento, metas, valorização dos pontos fortes da propriedade e minimização dos pontos fracos.

Por fim, ocorrerá uma visita em uma propriedade para visualizar na prática todos os conteúdos abordados durante o programa.

AVALIAÇÃO

Marcos Zanrosso, de 23 anos, do município de Guatambu, participa do programa motivado pela vontade de continuar no campo como realização pessoal e profissional, melhorar as condições de trabalho e a qualidade de vida da família e para dar continuidade às atividades familiares.

A família Zanrosso tem uma propriedade de 100 hectares com atividade principal focada na produção de grãos e como secundária a bovinocultura de leite. Cursando o 9º período de Agronomia, Marcos ressalta que o Jovemcoop tenta preservar o espírito do homem do campo e valorizar os profissionais que atuam no setor. “O que mais marcou até o momento foi a temática do desenvolvimento pessoal e da oratória, justamente por mostrar o valor individual e enaltecer esta profissão”, justifica.

Leia agora  Descubra os benefícios do Camu Camu para saúde

Tais Zuffo, 24 anos, zootecnista de Chapecó, enfatiza que o módulo de gestão da propriedade aborda conceitos que podem ser aplicados em todas as empresas rurais e são fundamentais para auxiliar nas decisões estratégicas. “O programa envolve muita prática e está focado em nossos objetivos, de se manter no campo, expandir as atividades e ampliar a rentabilidade e a qualidade de vida”.

Para Tais, o programa surgiu em um momento oportuno de sua vida, pois concluiu no fim de 2015 a graduação e retornou à propriedade com a missão de iniciar a sucessão familiar. Atualmente, a família Zuffo tem uma propriedade de 24 hectares e atividades voltadas, principalmente, à comercialização de produtos para as feiras, a exemplo da mandioca e do caldo de cana. “Com base no que estudei, por gostar dessa área, pela tendência de mercado e análise da propriedade, pretendo implantar a atividade de gado de corte. Por isso, o programa auxiliará neste processo e só tenho a agradecer esta oportunidade que agrega conhecimento para a vida”, complementa.

Como resultados, o assessor de comunicação social da Cooperalfa, Vilmar Bosco, enfatiza que a cooperativa espera mudanças significativas do comportamento dos jovens participantes, a compreensão do sistema cooperativista e a preparação dos jovens para ocuparem espaços dentro da cooperativa, seja como líder ou associado ativo.

PROGRAMA

O programa é destinado aos filhos de cooperados e colaboradores de cooperativas. “A iniciativa busca desenvolver os participantes no âmbito da gestão, liderança e cooperativismo para despertar o interesse pelo negócio e auxiliar no processo sucessório por meio da preparação de jovens conscientes de seu papel para o desenvolvimento sustentável das cooperativas e das comunidades onde atuam”, enfatiza a coordenadora de promoção social do Sescoop/SC, Patricia Gonçalves de Souza.

Leia agora  Jardim sensorial do Jardim Botânico é reaberto com mais acessibilidade

A etapa de formação do programa é composta por até oito módulos de 16 horas cada, em intervalos quinzenais de oito horas por módulo, no período de abril a novembro de 2016. Neste ano, estão em andamento seis turmas com aproximadamente 200 jovens de 16 a 30 anos. Ao todo são duas turmas na região do Vale do Itajaí nas cooperativas: COOPER (Blumenau) e COOPERJURITI (Massaranduba) e quatro turmas na região Oeste, que envolvem a COOPER A1 (Palmitos), AURIVERDE (Cunha Porã), COOPERITAIPU (Pinhalzinho) e COOPERALFA (Chapecó).

Sobre o autor | Website

Meu nome é Vagner Liberato, sou carioca e vivo no Rio de Janeiro. Formei-me em Administração de Empresas e sou um apaixonado por conteúdo sustentável. Desde 2015 faço o Meio Ambiente Rio com maior prazer! Para falar comigo, entre em contato pelo email: contato@meioambienterio.com

Para enviar seu comentário, preencha os campos abaixo:

Deixe uma resposta

*

Seja o primeiro a comentar!

Por gentileza, se deseja alterar o arquivo do rodapé,
entre em contato com o suporte.