Meio Ambiente

O novo relatório do PNUMA

5 (100%) 1 vote

O Programa nas Nações Unidas para o Meio Ambiente (PNUMA) publicou seu mais recente relatório “Global Environmental Outlook (GEO-6)” (Perspectiva Ambiental Global), sobre a situação mundial do meio ambiente. Resumo dos principais pontos do estudo está disponível em inglês no site do PNUMA em (link). As perspectivas, como sempre, não são nada otimistas. Ou seja, continuamos usando os recursos naturais no mesmo ritmo descontrolado de antes e as perspectivas de uma recuperação da natureza são cada vez mais difíceis.

O estudo destaca que o crescimento populacional associado à rápida urbanização e aos altos índices de consumo, está provocando a degradação e a desertificação dos solos de várias regiões. Com isso, o crescimento desordenado compromete os recursos hídricos e, consequentemente, a prática da agricultura, trazendo de volta o espectro da fome, que a revolução verde na agricultura havia afastado há décadas. Na Índia, no Paquistão e na China, já são comuns os fenômenos de rebaixamento do lençol freático, forçando os camponeses a bombearem sua água de profundidades cada vez maiores, às vezes não encontrando mais nada e forçando a família abandonar suas terras e emigrar para as periferias das cidades.

O relatório também faz observações com relação a problemas ambientais específicos às diversas regiões do globo. Na América Latina, fato importante é o aumento da emissão de gases de efeito estufa, causa principal do aquecimento da atmosfera e das mudanças climáticas. Nesta região, segundo o relatório, este fenômeno é acelerado pela criação de gado. O gado bovino, em seu processo de digestão, rumina seu alimento liberando gás carbônico (CO²) para a atmosfera. O Brasil, país que possui um dos maiores rebanhos do mundo, começa lentamente a estudar o assunto, mas ainda está muito longe de uma solução simples e economicamente acessível. Este é um dos motivos pelo qual muitos grupos da sociedade civil incentivam a redução do consumo de carne – além das vantagens para a saúde.

Leia agora  Congresso Brasileiro de Arroz discute impacto ambiental e integração com a soja

O aquecimento global, de acordo com o relatório, também está causando a redução dos glaciares na cordilheira dos Andes. O aumento médio da temperatura faz com que a cada ano se forme uma quantidade menor de gelo nos altos picos da cadeia de montanhas. A redução da extensão das geleiras diminui o volume de água que a cada primavera, quando o gelo derrete, desce para os vales. Com isso, cai o volume de água disponível tanto do lado ocidental dos Andes, na seca região à beira do oceano Pacífico, quanto do lado oriental, nos vales dos rios que correm para o rio Amazonas. O processo é relativamente lento, mas pode diminuir o volume de água do rio Amazonas e assim comprometer parte da biodiversidade da grande floresta.

Apresentando o relatório, o diretor executivo do PNUMA, o brasileiro Achim Steiner, disse que “se as tendências atuais continuarem e se o mundo deixar de implantar soluções que melhorem os padrões atuais de produção e consumo, se falharmos ao utilizar os recursos naturais de uma maneira sustentável, então o estado do meio ambiente em todo o mundo continuará a declinar.” O relatório do PNUMA é mais um alerta como muitos outros. A mudança a empreender é muito grande e demorada. Mas precisamos começar logo, antes que seja tarde.

 

Ricardo Ernesto Rose

Consultor, jornalista e autor, com especialização em gestão ambiental e sociologia. Graduado e pós-graduado em filosofia. Desde 1992 atua nos setores de meio ambiente e energia na área de marketing de tecnologias, trabalhando para instituições internacionais. Atualmente é consultor em inteligência de mercado no setor de sustentabilidade. É editor dos blogues “Da natureza e da cultura” e “Considerações oportunas”. Se site profissional é: www.ricardorose.com.br

Leia agora  Alergias: causas, diagnóstico e tratamento

Sobre o autor | Website

Meu nome é Vagner Liberato, sou carioca e vivo no Rio de Janeiro. Formei-me em Administração de Empresas e sou um apaixonado por conteúdo sustentável. Desde 2015 faço o Meio Ambiente Rio com maior prazer! Para falar comigo, entre em contato pelo email: contato@meioambienterio.com

Para enviar seu comentário, preencha os campos abaixo:

Deixe uma resposta

*

Seja o primeiro a comentar!

Por gentileza, se deseja alterar o arquivo do rodapé,
entre em contato com o suporte.