Meio AmbienteNotíciasSustentabilidade

Inea paralisa invasões em áreas de Arraial do Cabo

Até uma suposta praça, que estava sendo construída para burlar decisão judicial, foi desfeita por agentes do INEA, com apoio da Polícia Militar, na operação “Desacato”, desencadeada para combater construções irregulares em áreas de proteção ambiental de Arraial do Cabo, na Região dos Lagos. Desde sexta-feira, foram derrubadas casas em início de construções, desfeitos loteamentos irregulares e apreendido material que seria usado em pelo menos 60 incêndios criminosos.

A praça, que já tinha até coqueiros, estava sendo construída no distrito de Monte Alto, um dos principais alvos dos invasores de áreas de preservação. No entorno foram derrubados dez postes com ligações clandestinas de energia e destruídas cercas e materiais que seriam usados para demarcar 45 lotes. Os invasores usavam até uma retroescavadeira para abrir ruas e ampliar as áreas desmatadas,

— A construção da praça tinha o objetivo de obstruir a ação da justiça, que já tinha determinada. Nos outros casos, os invasores eram reincidentes. Paralisamos desmatamentos em várias áreas e foi apreendido material que seria usado em incêndios criminosos que exterminam a flora e a flora. Não vamos parar com as operações nas áreas do Parque Estadual da Costa do Sol (PECS) – garantiu o diretor do PECS, Marcelo Morel, que comandou as operações.

áreas de Arraial do Cabo

Segundo Morel, o proprietário de um depósito de bebidas construído nas dunas triplicou a área construída depois da primeira interdição do INEA. Nas novas investidas, o invasor incitou os moradores contra os agentes do INEA e do 25º BPM (Cabo Frio) que participaram da operação. A construção foi derrubada e o invasor foi preso.

— A autoridade dos agentes do INEA está sendo restaurada com a execução plena da lei – acrescentou Morel.

Arraial do Cabo

O novo chefe do PECS disse que as operações vão continuar, inclusive nos fins de semana, para identificar e prender os responsáveis pelos incêndios criminosos, principalmente em Arraial do Cabo, que lidera o ranking das invasões nas áreas do PECS e nas zonas de amortecimento. Todas as operações estão sendo acompanhadas pelo Ministério Público e também contam com apoio da Polícia Ambiental (UPAM de Cabo Frio).

— Até o final de abril vamos recuperar cada centímetro deste parque que foi incendiado. E não vamos tolerar ilegalidades e ameaças aos agentes da lei – concluiu Morel.

Tags
Saiba mais

Paulo Araújo

Paulo Roberto Araújo fez sua carreira jornalística no jornal O Globo, onde atuou como repórter e chefe de reportagem da editoria Rio. Sempre com foco no meio ambiente e no turismo, especialmente no interior fluminense, que o levou a ser agraciado com o Prêmio CREA de Meio Ambiente. Paulo Roberto Araújo - Jornalista - MT: 18146/RJ

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Close
Close