Mudança Climática tornou seca no Hemisfério Norte 20 vezes mais provável

A mudança climática impulsionou as altas temperaturas que secaram os solos em grandes partes do Hemisfério Norte no verão deste ano, segundo um novo estudo de atribuição da World Weather Attribution (WWA).

A análise estima que as mudanças climáticas — causadas principalmente pelos combustíveis fósseis e pelo desmatamento — tornaram as condições de seca no verão pelo menos 20 vezes mais prováveis, ameaçando a segurança alimentar e energética desta região do globo onde estão as maiores economias.

O verão de 2022 no Hemisfério Norte foi um dos mais quentes já registrados na Europa, com mais de 24.000 mortes relacionadas às ondas de calor.

China e América do Norte também experimentaram ondas de calor de duração e intensidade inéditas.

O calor foi acompanhado de uma seca extrema, que levou a uma escassez hídrica generalizada, incêndios e quebras de safras.

A estiagem piorou muito a crise de preço dos alimentos e a oferta de eletricidade, ambas já impactadas pela guerra russa.

Gostou? confira mais: